ETE Monjolinho 

Tratar o esgoto é algo complexo, por isso, muitas tecnologias de tratamento estão disponíveis. O esgoto gerado em São Carlos passou por análises aprofundadas e diversas concepções, envolvendo diferentes tecnologias de tratamento, foram devidamente estudadas até a definição da concepção atual. A ETE de São Carlos possui alta tecnologia e baixo custo para tratar o esgoto da cidade. 

A Estação de Tratamento de Esgoto – ETE Monjolinho possui a seguinte concepção:

Tratamento Preliminar (remoção de sólidos grosseiros, areia e gordura);

Tratamento Biológico/Reatores UASB (remoçao de DBO, DQO e sólidos);

Tratamento Físico-Químico: Coagulação/Floculação/Flotação por Ar Dissolvido (remoção de DBO, DQO, sólidos, fósforo, etc);

Desinfecção com Radiação Ultravioleta (microrganismos);

Pós-Aeração/Escada Hidráulica;

Com eficiência acima de 90% de remoção de matéria orgânica, a ETE trata em média 457 L/s;

No tratamento preliminar são retiradas 10 toneladas de sólidos a cada 45 dias e 30 toneladas de areia por mês;

São produzidos diariamente até 45 toneladas de lodo a 23% (teor de sólidos).

 

A ETE Monjolinho está localizada à estrada vicinal Cônego Washington José Pêra, s/n e funciona 24 horas, inclusive sábados, domingos e feriados, com uma equipe composta por 27 pessoas responsáveis pela administração, operação, manutenção e monitoramento.

Dentro de uma filosofia de trabalho de gestão de melhoria contínua, a administração da ETE busca alternativas e intervenções com o objetivo de aumentar a eficiência de tratamento e reduzir custos. De forma sistemática são realizados testes em laboratório com o objetivo de analisar produtos químicos alternativos mais adequados e selecionar a dosagem correta de cada produto, com vistas a eliminação total do desperdício.

Um exemplo do plano de ação de melhoria contínua recente foi a substituição de equipamentos misturadores/dosadores de polímero para garantir a dosagem exata de polímero, sem desperdícios.

Além da otimização do tratamento (aumento da eficiência e redução de custos) a gestão da ETE visa também a sustentabilidade ambiental com projetos de reutilização dos subprodutos gerados na ETE, água de reuso e geração de energia a partir do biogás e da queima do lodo).

 

ETE Santa Eudóxia

O distrito de Santa Eudóxia pertencente ao município de São Carlos e possui atualmente, aproximadamente, 4800 habitantes na zona urbana. Está localizado na sub-bacia do Rio Quilombo, pertencente à Bacia Hidrográfica do Mogi-Guaçu. A malha urbana do distrito se desenvolveu na bacia do córrego Itararé, afluente do Rio Quilombo, ambos enquadrados como Classe 2.

A Estação é constituída de tratamento preliminar (grade/caixa de areia/Calha Parshall), seguido de duas unidades de lagoa anaeróbia e, na sequência, lagoa facultativa. Os efluentes finais das lagoas são encaminhados até uma escada hidráulica e lançados no Rio Quilombo, com eficiência superior a 90% na remoção de DBO (Demanda Biológica de Oxigênio), além do exigido pela legislação (Decreto 8468). As águas do Rio Quilombo estão compatíveis com a sua respectiva classificação (CONAMA 357/05).

 

 

ETE Água Vermelha

A Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Água Vermelha do SAAE de São Carlos - SP é constituída de tratamento preliminar, lagoa, tratamento biológico (reator UASB), biofiltro e desinfecção. Após o tratamento o efluente tratado é descartado no Ribeirão das Araras, classe II, segundo classificação do CONAMA 357/05.

A ETE tem alta eficiência de tratamento (remoção superior a 90% de DBO) e o efluente atende a legislação vigente (Decreto 8468). Além disso, as águas do Ribeirão das Araras estão compatíveis com a sua respectiva classificação (CONAMA 357/05).

Scroll to top