A CETESB  - Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental, ligada à Secretaria do Meio Ambiente do governo paulista – divulgou oficialmente nesta semana, em seu site http://www.cetesb.sp.gov.br,  o índice de 9,86, no Indicador de Coleta e Tratabilidade de Esgoto de Município (ICTEM), para o município de São Carlos. Referente ao ano de 2015, o índice conquistado por São Carlos é um dos melhores do estado. 

 

 

 

A CETESB  - Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental, ligada à Secretaria do Meio Ambiente do governo paulista – divulgou oficialmente nesta semana, em seu site http://www.cetesb.sp.gov.br,  o índice de 9,86, no Indicador de Coleta e Tratabilidade de Esgoto de Município (ICTEM), para o município de São Carlos.

Referente ao ano de 2015, o índice conquistado por São Carlos é um dos melhores do estado, considerando a eficiência da coleta de esgoto, a população urbana atendida, o tratamento e eficiência de remoção, a população urbana com esgoto tratado e a eficiência de remoção das ETEs. O índice é elaborado pela CETESB, com variação de 1 a 10.

O presidente do SAAE, Sergio Pepino, lembrou que com as duas novas Estações Elevatórias de Esgoto (EEEs) do Cidade Aracy, em funcionamento desde o final de junho, esse índice deve subir ainda mais. “Antes apenas 25% do esgoto da região do Cidade Aracy era encaminhado para a ETE. Com as novas EEEs conseguiremos encaminhar 100% do esgoto para tratamento e, como isso, o ICTEM para os próximos anos deverá chegar a 10. Uma grande conquista para a cidade e para o Meio Ambiente”.

Localizadas no bairro Cidade Aracy, as Estações Elevatórias de Esgoto (EEE) Água Fria e Água Quente garantem que todo o esgoto dos bairros Cidade Aracy I e II, Presidente Collor, Novo Mundo, Planalto Verde, Monte Carlo, Jardim Gonzaga e CEAT seja encaminhado para a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Monjolinho, mantendo a integridade dos córregos da Água Quente e Água Fria.

Com capacidade de tratamento de 635 litros por segundo, a ETE Monjolinho desenvolve um criterioso trabalho de monitoramento que garante a eficiência de seu trabalho.

Esse monitoramento, que também é feito para as ETEs dos distritos de Água Vermelha e Santa Eudóxia, é realizado por profissionais capacitados que atuam no laboratório Físico-químico e Microbiológico da autarquia.  Em cada amostra são realizadas análises de pH, turbidez, cor, alcalinidade, DBO, DQO, toda a série de sólidos, coliformes totais, Escherichia coli, entre outras. Além do exigido pelas legislações (Decreto 8468), a eficiência das ETEs chega a 90% de remoção das impurezas.

Após o tratamento, o efluente da ETE Monjolinho é descartado no rio de mesmo nome, enquanto o esgoto tratado pela ETE Água Vermelha é descartado no Ribeirão das Araras e da ETE Santa Eudóxia é lançado no Rio Quilombo.  

Scroll to top